O tabagismo pode causar diversas doenças e, ainda, levar à morte. Tendo como foco os perigos que esse mau hábito acarreta, a Organização Mundial De Saúde (OMS) instituiu o Dia Mundial sem Tabaco que é comemorado anualmente em 31 de maio desde 1987. A data tem com objetivo salientar os males que podem ser evitados com o fim desse vício. 

De acordo com Dr. Waldomiro José, pneumologista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, o fumo é responsável por 85% dos casos de câncer de pulmão, porém, esse não é o único órgão que pode ser prejudicado. Os fumantes estão propensos a adquirir câncer de boca, faringe, laringe, estômago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero.  “O tabagismo também causa problemas coronarianos, sendo um fator desencadeante para 25% das ocorrências de infarto e angina; e doenças pulmonares obstrutivas crônicas, como a bronquite crônica e a enfisema”, acrescenta o médico. Além dessas patologias, o hábito contribui para o surgimento de infecções respiratórias e, ainda, do acidente vascular cerebral (AVC) e as úlceras gastroduodenais que acometem o cérebro e o sistema digestivo, respectivamente.

Dr. Waldomiro informa que, segundo a OMS, o narguilé, tão comum entre a população atualmente, também gera malefícios para o organismo, pois possui 100 vezes mais alcatrão, quatro vezes mais nicotina e 11 vezes mais monóxido de carbono do que um cigarro comum. “Há estudos que dizem que 1 hora de uso em grupo do narguilé equivale ao consumo de 100 cigarros. Algumas pessoas pensam que, por apresentar certa quantidade de água, esse fato retira as substâncias tóxicas, mas na verdade ocorre o contrário, já que aumenta a ingestão de fumaça”, alerta o pneumologista.

As complicações já relatadas não são as únicas consequências vivenciadas por quem fuma. O corpo desses indivíduos manifesta sintomas como o mau hálito, dor de garganta, tosse, gengivite, falta de ar e dificuldade no desempenho de atividades esportivas e sexuais. Para as grávidas, o tabagismo pode gerar riscos de aborto espontâneo e má formação pulmonar no feto, além de ser um possível fator para que o recém-nascido apresente baixo peso.

Razões para combater o tabagismo

Segundo o pneumologista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, fumar é uma das principais dependências químicas que atingem a humanidade. “O consumo de qualquer tipo de fumo, seja charuto, cachimbo ou narguilé, é responsável pela perda precoce de 1,3 milhões de vidas por ano no mundo”.

Para combater o tabagismo é importante entender as vantagens que se adquire ao largar esse costume. “Quando você para de fumar, imediatamente o corpo começa a eliminar os resíduos tóxicos do cigarro, mesmo que se tenha esse mau hábito por anos. Diminui-se o risco de tumores malignos e complicações cardíacas, a respiração fica mais fácil, há melhora no desempenho físico, mental e sexual e ainda gera benefício econômico, já não haverá os gastos com os maços”, relata o médico.

Dr. Waldomiro também ressalta que a iniciativa é uma boa ação no ponto de vista coletivo, pois evita-se que outras pessoas inalem toxinas involuntariamente e desenvolvam patologias. “Não podemos esquecer que os fumantes, além de prejudicarem a si mesmos, fazem mal para quem convive com eles, provocando problemas causados pelo tabagismo passivo.”

Quando precisar, não se esqueça: você pode contar com a Singular Medicamentos! Aqui estamos interessados em fazer sempre mais pela sua saúde, oferecendo as melhores marcas de medicamentos de diversas especialidades.

Comentário Facebook